A loirinha curvilínea estava indo pra casa calmamente quando, detrás de uma árvore, pulou um assaltante e a iluminou com uma lanterna:
- Seu dinheiro
- Não tenho... balbuciou assustada,
- Passa o dinheiro, se não eu vou procurar - ameaçou o assaltante.
Ela repetiu que estava sem dinheiro, e o assaltante deu uma revistada.
- Passa logo - disse ele, ameaçador. Senão, vou revistar prá valer!
- Mas eu já disse que não tenho!
E o assaltante começou a revistar pra valer.
- Você disse a verdade. Não tem dinheiro mesmo.
- Mas você não vai parar agora, vai? - protestou a loirinha. - Eu faço um cheque!