Um Alentejano vai a Lisboa vestido com um casaco de pele de ovelha e na rua passa por uns lisboetas que decidem gozar com ele. Os rapazes seguem o alentejano e começam:
- mêêêê mêêê mêêê.
O alentejano nada.
Eles continuam:
- mêêêê mêêê.
O alentejano nada.
Até que uns desistem, só ficando um mais gozão que continua:
- mêêêê mêêê mêêê.
E volta-se o alentejano:
- A tanto tempo que lhe matei a mãe e mesmo a sim ainda lhe conhece a pele!