Deitado em seu leito de morte, Salim chama o seu filho mais velho, tira um antigo relógio do bolso com dificuldade e diz:
- Filho... Tenho pouco tempo... Está vendo este relógio aqui?
- Sim, papa... responde o filho, com lágrimas nos olhos.
- Ele era do meu bisavô! - continuou o pai. - Depois ele foi passado para o meu avô... depois para o meu pai... depois para mim... e agora chegou a sua vez... quer comprar?