Chicão nunca teve papas na língua. Um dia deixou o sítio onde morava e foi trabalhar na capital.
Depois de alguns dias, resolveu mandar um bilhete pra mãe, que dizia exatamente assim:
"Mãe,
Como vai o burro do meu pai, o cavalo do meu irmão e a besta do meu avô? Tô mandando dois vestidos pra senhora: um pra senhora meter em casa e outro pra meter na rua. Sabe, mãe, todos os meus passarinhos morreram. Até a minha rola, hoje, amanheceu dura. Ah, tô mandando também um peixe pra senhora: A senhora chupa a cabeça e dá o rabo pro meu pai.
Beijos
Chicão."